Com apenas 13 anos jovem está se preparando para se tornar o Neurocirurgião mais novo do mundo.

0

Com apenas dois anos, Joshua já dominava a leitura. Um ano depois começou a falar japonês e aos seis anos de idade tornou-se na pessoa mais jovem do mundo a estudar Filosofia e História na prestigiada Universidade de Oxford, em Inglaterra, onde ganhou uma distinção em ambas disciplinas.

seguro de vida para casais homoafetivos

O primeiro contato de seu pai, Knox Daniel, com a o potencial de seu filho, foi quando em frente ao computador com o menino percebeu algo diferente. “Comecei a dizer ao Joshua quais eram as letras do teclado e percebi que ele ia memorizando e percebi que ele era extraordinário.”

Joshua e seu pai, vestido de terno e gravata borboleta preta.
Joshua e seu pai.

Knox começou à testar até onde a inteligência de Joshua poderia chegar, e em 2011, quando Joshua tinha apenas 6 anos, inscreveu-o na Universidade, no curso de Filosofia para crianças brilhantes entre os oito e treze anos. A faculdade aceitou, e Joshua tornou-se assim no aluno mais jovem já aceito. E passou com distinção.

Foi nomeado aos seis anos como uma das crianças mais inteligentes do mundo. Agora, com  14 anos, está muito avançado academicamente para continuar a estudar na faculdade com o resto dos seus colegas, e foi “obrigado” a ter aulas em casa. Joshua destaca-se nas áreas das Ciências, Matemática, História e Línguas.

E qual é o sonho de uma das crianças mais inteligentes do mundo? Joshua quer ser neuro-cirurgião e está no caminho certo para que isso aconteça o mais rápido possível. Já tem possui prática em remoção da vesícula biliar e procedimentos de apendicectomia.

Joshua Beckford pode se tornar no mais jovem médico em apenas dois anos.

“Aos quatro anos eu usava o computador do meu pai que tinha um simulador de corpos onde eu retirava os órgãos. Quero salvar a Terra. Quero mudar o mundo e mudar as ideias das pessoas para fazer as coisas certas.”

Joshua está também a escrever um livro infantil sobre o Egito.

Quando não está no meio dos livros e cadernos, Joshua trabalha para a campnha Black and Minority (BME) da National Autistic Society. Diagnosticado com autismo, Joshua ajuda a espalhar a missão da campanha que mostra os obstáculos que a comunidade negra enfrenta quando tenta obter acesso aos serviços médicos e a falta de suporte necessário para o autismo.

De acordo com um estudo de 2011, Autism and the African American Community, “evidências demonstram que embora as taxas de diagnóstico para autismo ocorram nas mesmas taxas em todos os grupos raciais, o diagnóstico em crianças afro-americanas ocorre mais tarde que em crianças brancas. Como resultado, as crianças afro-americanas podem exigir uma intervenção mais longa e mais intensa”.

Enquanto estuda para ser neurocirurgião, Joshua angaria fundos para três instituições de caridade de autismo, uma no Reino Unido e duas em África, e ainda faz e participa em campanhas para salvar o meio ambiente.

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *