Com aumento de Racismo e roubo de terras, aumenta o suicídio entre indígenas

3

O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) divulgou um relatório, em setembro do ano passado, no qual denuncia o aumento do número de suicídios entre indígenas no Brasil.

seguro de vida para casais homoafetivos

Segundo a antropóloga responsável pela elaboração do documento, Lúcia Helena Rangel, o racismo, as pressões sociais e as limitações de território, motivadas por conflitos de terra, são as principais causas para os suicídios.

Os jovens indígenas, entre 14 e 29 anos, são as principais vítimas de mortes causadas por lesões autoprovocadas. A média é de um caso de suicídio a cada três dias.

Nos casos de suicídio entre indígenas em todo o país, o documento do Cimi destaca os altos índices registrados nos estados do Amazonas e Mato Grosso do Sul. As duas regiões carregam as marcas de uma série de conflitos fundiários, principalmente entre ruralistas e indígenas que pedem a regularização das terras.

De acordo com os dados divulgados, juntos, os dois estados concentram mais da metade dos casos de suicídio entre indígenas em aldeias e nas cidades. No Amazonas, foram 54 mortes do tipo e, no Mato Grosso do Sul, foram 31 apenas entre 2016 e 2017.

Das 1.306 terras reivindicadas pelos povos indígenas no Brasil, 847 terras (64% do total) apresentam alguma pendência do Estado para a finalização do processo demarcatório e o registro como território tradicional indígena na Secretaria do Patrimônio da União (SPU). Destas 847, um volume de 537 terras (63%) não teve ainda nenhuma providência adotada pelo Estado.

3 comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *